sexta-feira, agosto 19, 2011

Someone Like You

video

Never mind, I'll find someone like you
I wish nothing but the best for you, too
Dont forget me, I beg, I remember you said
Sometimes it lasts in love, but sometimes it hurts instead



beijo.outro.tchau

sexta-feira, agosto 12, 2011

A vida em atos #4,5,6 e7

Não consegui manter as postagens diárias, do final de cada noite. Eu bem tentei, mas na Quinta-Feira cheguei tão tarde, que seria insanidade, ficar no computador e ainda querer estar de pé às 6hs.
A falta de noites completas de sono tem afetado diretamente a minha memória e a única coisa que eu me lembro de ontem, foi que eu perdi o ônibus de novo, assim como ocorreu hoje...

Destaque de hoje, vai para a cena a caminho do serviço:

Dois mendigos andando na calçada...
Um travesti, no naipe da Valéria, do Zorra Total... empurrando um carrinho de supermercado e um velhinho, carregando umas sacolas, até que o travesti, ao enroscar o carrinho em um buraco na calçada, começa a gritar:

- CARALHO, COMO EU ODEEEIO HOMEM FROUXOOO, SAI DA MINHA VIDA, ENCOSTOOO! VEM AQUI ME AJUDAAAR!

Geral começa a olhar pro "casal" e além de ser impossível não rir, bêbado do jeito que ele estava, seria impossível também, ele ajudar com alguma coisa.

Vergonha alheia. Desde sempre, alegrando as nossas manhãs.



beijo.outro.tchau

quarta-feira, agosto 10, 2011

A vida em atos #3 (Quarta)

ATO I

Novamente, acordei atrasado. O despertador desistiu de tocar e minha mãe veio ver se eu ainda respirava.
Levantei, tomei banho, café e um comprimido de vitamina... pra tentar um efeito placebo e fingir estar super disposto.

Logicamente saí atrasado e perdi um ônibus outra vez.
Ouvi dizer, que tem uma tal de lei imutável da física e que segundo ela, "dois corpos não podem habitar o mesmo lugar no espaço".
Se restava alguma dúvida quanto à veracidade desse boato, hoje posso dizer que é mentira... Eu mesmo não sei como couberam tantas pessoas em um único ônibus.


ATO II

O motorista do ônibus dirigiu como se estivesse carregando a vaca da mãe dele e não só correu muito, como me fez chegar no horário (sim, eu... que saí atrasado e perdi um ônibus).
O serviço hoje rendeu. Tranquilo não foi... mas foi menos pior do que ontem.

Devem ter colocado alguma coisa na água, porque bastaram alguns goles durante a tarde, pra eu me sentir inexplicavelmente motivado.
Recebi elogios, entreguei meu contrato de renovação assinado e por ora, não desejei morte lenta a ninguém.

No final da tarde, uma colega de trabalho chegou na minha mesa e perguntou:
- Você conhece alguém que faz trabalho?
Respondi:
- Macumba?
Ela:
- Nãão... trabalho escolar, mesmo. Tenho um, mas não sei fazer.
E bom, eu acabei me candidatando a fazer o trabalho pra ela a um certo custo (na verdade, queria pedir pagamento adiantado). Me arrependi logo em seguida, e vou tentar pular fora. Não tenho feito nem os meus trabalhos... quanto menos os dos outros.


ATO III

Em casa ajudei minha sobrinha com a lição de casa e deixei bem claro pra ela que o acento agudo não gosta de ser chamado de "tracinho" e o acento circunflexo detesta o apelido de "chapeuzinho"... Acho que ela entendeu que isso é bullying.

Fui pra faculdade, conversei a aula inteira e enfim...
Bora dormir, que enquanto não matarem o galo, essa desgraça vai continuar cantando cedo!



beijo.outro.tchau

A vida em atos #2 (Terça)

ATO I

A bateria do celular quase descarregou por completo, na tentativa de me acordar... Foram mais ou menos trinta minutos, pra que o barulho do despertador incomodasse meu sono... ou melhor, meu estado de coma.
Apertei "soneca" e desejei que o mundo acabasse em três minutos, só assim o despertador não tocaria novamente.

Levantei, tropecei no tapete, acendi a luz e queimei os olhos com a claridade. Pensei: Puta que pariu!
Encontrei com a minha mãe, falei bom dia... O cachorro veio ao meu encontro e eu não tinha forças pra demonstrar algum afeto.

Tomei banho, tomei café, saí em cima da hora e perdi um ônibus.
Não falei bom dia pra ninguém.



ATO II

No serviço, ignorei a vaca da portaria, e encontrei o gerente no elevador.
O assunto? Motivação, eficiência, estrutura de processos e bla bla bla, Wiskas sachê...

Na reuniãozinha, a chamada por causa de uma cagada do departamento comercial e do próprio gerente, caiu no colo de quem???
O ser mais sortudo da face da Terra, vulgo Eu.

Engoli seco pra não mandar todo mundo tomar no cú e pensei em fingir que estava passando mal, só pra sair daquele lugar.
Faltando 5 minutos pro meu horário de saída, meu computador já estava desligado e eu na porta, segurando o cartão de ponto.
Desmotivação, a gente vê por aqui.

Passei no banco, saquei dinheiro e fui direto pra loterica, fazer "N" apostas na Mega-Sena, na esperança de sair dessa vida.
Desespero, a gente também vê por aqui.


ATO III

Já em casa, deitei e dormi, como se tivesse bebido duas garrafas de vinho. O sono e o mau humor me embriagaram.
Depois jantei como se tivesse vindo da Etiópia e fui pra faculdade...
A aula tava boa e milagrosamente, posso dizer que eu estudei.

Voltei da faculdade de ônibus e isso teria sido muito normal, não fosse por dois detalhes:
Aquela merda demorou demais e em função da demora estava TÃO cheio, que eu não consegui passar na "catraca" a tempo e tive que descer dois pontos depois do habitual.

E não vou terminar de escrever tudo bonitinho, porque já é meia-noite e eu acordo cedo.

VTNC.



beijo.outro.tchau

segunda-feira, agosto 08, 2011

A vida em atos #1 (Segunda)

ATO I


Acordei motivado, bem disposto e feliz.
Estendi minha cama, arrumei minha roupa, abracei o cachorro, cumprimentei todos em casa, tomei um bom café da manhã, tomei banho... me enchi de perfume e saí pontualmente pra evitar qualquer atraso.

O tempo tava agradável, sorri para os vizinhos que sempre encontro no ponto de ônibus e nunca cumprimento, dei-lhes bom dia... falei "Oi" até pra quem eu nunca vi. Não conseguia parar de rir.

O ônibus veio logo, não lotou, não tinha trânsito, não bocejei, cheguei 30 minutos mais cedo no serviço... e, ah! tinha um lugar vago pra eu me sentar no ônibus.
No escritório, mais uma rodada de bom-dias.



ATO II


O departamento comercial trabalhou no Sábado e gerou uma pilha imensa de serviço acumulado desde então, uma supervisora faltou, não parei de trabalhar um minuto, fez um CALOR do inferno e o ar-condicionado não foi ligado (aquele mesmo ar, que em dia FRIO faz a gente se sentir um Mini-Chicken congelado) e o gerente azucrinou o dia in.tei.ro.

Dúvida: Que diabos faz uma pessoa que não vê nada, não sabe de nada, não sabe falar em outra coisa a não ser motivação, treinamento, e eficiência e é entitulado de "Gerente"???

Voltando...
Por um dia, desejei trabalhar no Circo... talvez fosse divertido. Palhaço não atende ramal, não usa calculadora financeira, não faz planilha e ainda ganha o suficiente pra ser palhaço.



ATO III

Cheguei em casa morto de fome, sono, com matéria pra ler, a secretaria do curso ligando e dizendo que as minhas aulas recomeçam nesse final de semana, fui pra faculdade, aguentei um professor mala falando até às 23hs, e sinto (não sei porque) que amanhã ainda esperem que eu acorde bem humorado.



Essa é minha vida, esse é meu clube.



beijo.outro.tchau

domingo, agosto 07, 2011

Anyway

E mais cedo ou mais tarde, os detalhes são sempre aqueles que fazem toda uma diferença... quer você queira, quer não.
Há quem diga para não nos prendermos aos tais detalhes. Mas em certos casos, não é questão de prender-se à eles, é apenas uma condição de saber que eles existem.

Anyway this is the life.




beijo.outro.tchau